Susana Oliveira - Para si a escrita é... Poder viver e sentir várias personagens.

"Desde cedo a escrita faz parte da minha vida."

Olá, Susana!


Muito obrigada por nos proporcionar esta entrevista.

Vamos a isso…


Quem é a Susana Oliveira?

Olá. Antes de mais agradeço a oportunidade de permitir aos leitores conhecer a autora por trás da obra.

Na verdade, não me é muito fácil definir-me pois considero-me alguém complexo, mas segundo a opinião de quem me conhece bem, sou uma mulher intensa, extrovertida, amiga do seu amigo e verdadeira, sobretudo consigo própria.


Quando começou a paixão pela escrita?

Desde cedo a escrita faz parte da minha vida. Comecei pela poesia por volta dos doze ou treze anos de idade. Escrevia sobretudo poemas que ainda guardo, a prosa surgiu recentemente por curiosidade e brincadeira.


O que escrevia por passatempo, pode passar por uma publicação, ou será sempre mantido para si?

Talvez um dia, quem sabe. A verdade é que já tive vontade de publicar essas poesias, no entanto nunca me passou pela ideia escrever prosa, quanto mais publicar. Não digo que nunca o farei, porém, a prosa tem-me apaixonado e neste momento não me vejo a terminar o que tenho guardado de forma a publicar algo com o qual fique contente com o resultado. No entanto alguns leitores têm proposto publicar alguma das poesias na segunda parte de Olhar de Pecado, o qual estou ainda a ponderar.


"Optei por não esconder a minha identidade..."

Quanto tempo levou o processo do livro “Olhar de Pecado”, desde pesquisa, até o enviar para a editora?

Sendo que Olhar de Pecado era apenas uma brincadeira que eu iria manter guardado, fui escrevendo ideias soltas e por esse motivo acabou por ser um processo demorado. Comecei a escrever há quatro anos de forma bastante aleatória, entretanto engravidei do meu segundo filho e com um bebé pequeno não tinha muito tempo para a escrita. Apenas há um ano atrás ao partilhar alguns capítulos com amigos percebi o quanto a minha escrita lhes agradava e devido à insistência de uma grande amiga, terminei aquele que é hoje o meu primeiro romance erótico. Embora tenha iniciado há quatro anos, o processo de forma mais efetiva demorou dois anos até sentir que aquele era o resultado que pretendia e arriscar enviar para algumas editoras.


“Olhar de Pecado” é um romance erótico. Sendo mulher, notou alguma dificuldade acrescida por escrever este género? Pelos olhos dos outros.

Infelizmente sim. A escrita erótica continua a ser tabu, por esse motivo existe ainda muitos leitores que gostam deste género literário, mas sentem necessidade de o esconder, da mesma forma que autores sentem a necessidade de esconder a sua identidade. A vergonha, o preconceito, a religião, contribuem para que exista uma ideia errada sobre este tipo de escrita, e sendo mulher existem ainda mais ideias erradamente concebidas. Optei por não esconder a minha identidade, pois considero que enquanto tivermos a necessidade de o esconder, nunca este género literário deixará de ser tabu.


Sente que o género erótico, é um género presente na atualidade?

Sinto que tem vindo a melhorar, mas ainda existe um grande caminho a percorrer. Se não existissem tantos tabus com este género literário acredito que estivesse ainda mais presente na atualidade.


Enquanto autora, gostaria de abordar outros géneros?

Possivelmente. Sendo que há alguns anos não me imaginava a escrever prosa e hoje estou apaixonada por este tipo de escrita, quem sabe algum dia me aventure a escrever outros géneros.


"Não consigo escrever se não estiver com a mente a fervilhar."

Existe algum escritor Português que a tenha inspirado nesse género ou sempre foi cativante?

Eu descobri este género literário por obras e autores estrangeiros há muitos anos, e foi este género que me fez apaixonar-me pela leitura. Existe sempre um género que nos envolve e cativa mais do que os outros, e romances eróticos conseguem prender a minha atenção como nenhum outro.


Quando se depara com uma folha em branco, e não consegue processar as palavras, como lida com a situação?

Apenas escrevo quando surge inspiração. Não consigo escrever se não estiver com a mente a fervilhar. Forçar ideias é frustrante e quando não consigo processar o que me vai na mente prefiro não escrever, pois fico com a sensação que foi algo forçado e não tão fruído como gosto que a minha escrita seja.


O segundo livro, existe algo que possa partilhar?

O segundo livro é talvez mais intenso do que o primeiro e lida com uma questão da atualidade mundial.


Até onde gostava de ir com “Olhar de Pecado”?

Penso que um dos sonhos de qualquer autor é que a sua obra seja vendida em outros países e outras línguas. Pode não ser hoje, pode não ser amanhã, mas esse é um dos sonhos que tenho para Olhar de Pecado, levá-lo além-fronteiras.


"Tudo o que me rodeia me inspira."

A escrita para si é…

Poder viver e sentir várias personagens, sem deixar de ser eu mesma.


Se fosse hoje, mudaria alguma coisa na sua história?

Não. Estou bastante contente com a história que criei e apenas enviei para a editora quando senti que não mudaria nada.


Onde se inspira para construir as suas histórias?

Eu sou uma pessoa com uma mente muito fértil. Tudo o que me rodeia me inspira. Uma música, um filme, uma conversa, uma imagem, sendo por isso fácil ser inspirada em tudo e em nada.


Como mãe, acha importante motivar as crianças a serem leitores cada vez mais cedo?

Sim e não. Tenho dois filhos completamente distintos, e no primeiro tentei incutir o gosto pela leitura desde muito cedo, e ainda hoje já com doze anos gosta felizmente de ler; já o outro por mais que lhe seja incutida a leitura tanto em casa como no jardim-de-infância, não o vejo mostrar qualquer interesse. Penso que devemos apenas motivar à leitura quando sentimos que a criança mostra interesse, ou de outra forma estaremos mais a afastar a criança do que propriamente a motivá-la. Cada criança tem o seu tempo, e como mãe penso que o mais importante é perceber o tempo de cada uma, seja mais cedo ou mais tarde.


"É necessário um marketing que leve os leitores a perceber que o que é nacional é bom."

Na sua opinião, o que falta fazer em Portugal para fazer os leitores lerem mais livros nacionais?

Mais divulgação dos mesmos. Infelizmente em Portugal apenas os autores conhecidos são divulgados pelas redes de comunicação social, sendo eles estrangeiros ou nacionais, e existem tantos autores nacionais, tão bons ou melhores que esses tais cujo nome todos conhecem. Não desmerecendo o trabalho e qualidade de ninguém, mas necessita de existir uma maior aposta e divulgação no que é português. Se formos analisar a maioria dos livros divulgados e partilhados nos perfis dedicados a livros, são maioritariamente estrangeiros. As publicidades televisivas são maioritariamente exibindo obras estrangeiras, ou apenas autores nacionais de renome. É necessário um marketing que leve os leitores a perceber que o que é nacional é bom. Aproveito também para agradecer e dar os parabéns à Entre-Palavras por todo o trabalho de divulgação e aposta nos autores portugueses.


Foi importante a motivação das pessoas que leram as suas primeiras páginas?

Muito. Provavelmente se não tivesse existido alguém que me impulsionou tanto a terminar o livro porque gostou do que leu, Olhar de Pecado nunca teria passado de uma ideia que nunca sairia da gaveta.


Na sua opinião, as redes sociais são uma boa ferramenta para promover o seu trabalho?

Sim. Cada vez mais as redes sociais são a melhor forma de promover o nosso trabalho. Muito pelo facto das pessoas passarem cada vez mais tempo nas redes sociais e divulgarem os seus gostos, permite-nos alcançar leitores que desconheciam o nosso trabalho.


"Olhar de Pecado é um livro de fácil e fluida leitura."

Descreve “Olhar de Pecado” numa palavra:

Envolvente.


Partilhe connosco uma passagem do livro que mais goste:

«O seu toque era eletrizante e o calor do seu corpo intensificava a vontade de o ter. Precisava dele! Era o único capaz de fazer o meu corpo tremer, de desmoronar as minhas inquietudes e vontades, de levar-me ao inferno, pois acredito que no céu ninguém foda da maneira que o faz. »


Deixe uma mensagem para os seus leitores:

Olhar de Pecado é um livro de fácil e fluida leitura. Uma história envolvente onde o romantismo e o erotismo se completam. Um romance erótico que tem apaixonado muitos leitores e que certamente captará a atenção de quem o ler. Tem sido muito gratificante todas as mensagens de feedbacks que tenho recebido, as quais me enchem de vontade de continuar.

O meu muito obrigado a todos.


Muito obrigada, “Entre Palavras”

Muito obrigado eu pela vossa oportunidade de dar aos leitores conhecer a autora por trás de Olhar de Pecado.


Obra da Autora:


65 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo