Catarina Silva fala da obra "Príncipes do Inferno"

"É a promessa de que posso fazer muito mais e que devo acreditar em mim."

Olá, Catarina

Antes demais os nossos parabéns pela vitória nos Prémios Literários referente à Categoria Sobrenatural. Vamos saber mais sobre esta obra…


Para começar, onde encontrou inspiração para a história?

Na altura lia muito sobre este género, foi isso que me deu vontade de escrever sobrenatural. O que podia envolver criaturas fascinantes, mas assustadoras puxava-me muito.

Comecei por fazer pesquisa sobre várias criaturas, acabando nos demónios e a partir daí deixei que todas as influências na minha vida como séries, filmes e música me inspirassem a construir a história.


Quanto tempo demorou o processo desta história?

Penso que deve ter demorado um ano, comecei a escrever no verão de 2019, e acabei no de 2020. O início e o fim foram os mais rápidos, o desenvolvimento é que demorou um pouco mais, também tive algumas pausas, por isso foi um processo mais lento.


“Príncipes do Inferno” – Que significado tem para si?

Para mim significa a realização de um sonho, é o meu primeiro livro, onde deixei muitas emoções enquanto escrevia, e chorei baba e ranho quando o tive na mão em papel, com o meu nome.

É a promessa de que posso fazer muito mais e que devo acreditar em mim.


"Somos muito protetoras das pessoas que amamos, e podemos ser um pouco impulsivas."

Alguma das personagens é o seu reflexo?

Eu acho que deixo sempre passar um pouco de mim para a personagem principal, neste caso a Ália.

Somos muito protetoras das pessoas que amamos, e podemos ser um pouco impulsivas.

Mas acho que ela acaba por ser um pouco como eu porque eu deixo transbordar um pouco dos meus sentimentos para ela, quando estou feliz nota-se na escrita, quando estou triste, ela também parece mais triste, quando estou irritada… penso que isso é o que se nota mais!


De onde surgiu o título?

O título surgiu da pesquisa que fiz sobre demónios, enquanto estava a tentar organizar o livro.

Os sete pecados mortais são associados a um demónio específico, deste modo há uma personificação de cada pecado. Estes sete são os líderes do inferno, e são chamados de “Príncipes do Inferno”.

Como neste livro conhecemos estes sete demónios, achei apropriado!


Estava à espera do impacto que a história teve nos leitores?

De todo. Tive sempre medo quando alguém me dizia que ia ler, acho que esse receio é natural, nós gostamos da nossa obra, mas nunca sabemos se os outros gostarão.

Saber que as pessoas realmente apreciaram algo que escrevi tem sido maravilhoso, algo que nunca estava à espera.


"Ver o carinho que as pessoas têm pelo livro é a coisa mais gratificante deste mundo."

Defina “Príncipes do Inferno” em duas palavras.

Um Romance Demoníaco!


O que sentiu quando soube que o seu livro tinha sido sugerido pelos leitores para estar presente nos nossos Prémios Literários?

Senti-me honrada por pensarem que o meu livro valia a pena, e que talvez pudesse ganhar! Fiquei muito orgulhosa.


Qual a sensação de ver o carinho das pessoas em relação à obra?

Para mim tem sido das melhores partes de ter escrito um livro, todo o processo da criação foi magnifico, mas ver o carinho que as pessoas têm pelo livro é a coisa mais gratificante deste mundo. Especialmente quando me dizem que não é um género que costumam ler, e acabam por gostar.

Poder tocar alguém com algo que escrevi e saber que as pessoas gostam enche-me o coração.


"Sendo assim será uma obra única, com um final perfeito, na minha opinião!"

“Príncipes do Inferno” é uma obra única ou tem continuação?

Embora me tenha apegado às personagens, e isso fez uma pequena parte de mim querer continuar, desde o início sabia exatamente como queria acabar o livro, e consegui concretizá-lo da maneira que imaginei.

Sendo assim será uma obra única, com um final perfeito, na minha opinião!


O que sentiu quando soube que a sua obra tinha sido a vencedora?

Fiquei um pouco chocada, mas foi uma surpresa muito boa! Conhecia os livros que estavam também nomeados, e acredito que também mereciam, então quando vi, não acreditei. Fiquei muito agradecida a todos os que acreditaram e votaram em mim.


O que gostaria de dizer a quem segue o seu trabalho?

Continuem a acompanhar-me, fiquem! Não pretendo parar de escrever, faz parte de mim, por isso vou trazer muito mais!

E claro, um agradecimento a todos os que me apoiam, que me ajudam, e me motivam a escrever e a acreditar em mim.


Muito obrigada, Cristina “Entre Palavras”

Obrigada pela oportunidade, e parabéns pela iniciativa!


Obra Vencedora:


25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo