Carolina Cruz fala da obra "O Coração Vive de Sorrisos"

"Todo eles têm a sua história, as suas batalhas, os seus dramas e o seu romance."

Olá, Carolina!

Antes demais os nossos parabéns pela vitória nos Prémios Literários referente à Categoria Conto. Vamos saber mais sobre esta obra…


Que história é representada em “Os Corações vivem de Sorrisos”?

No livro "O coração vive de sorrisos" não é apenas contada uma história, mas sim 5 histórias diferentes com personagens ditas "especiais", conhecemos a história do Cláudio, um jovem com paralisia cerebral, a Alice, uma menina com trissomia 21, o Samuel, um jovem com esquizofrenia, a Madalena com síndrome de Tourette e a Maria Inês com síndrome de Asperger.

Todos eles têm a sua história, as suas batalhas, os seus dramas e o seu romance.


Quanto tempo demorou o processo desta história?

O livro foi editado em 2018, e eu comecei a escrevê-lo sensivelmente em 2015/2016.


Alguma das personagens tem algo da Carolina?

Sim. O Cláudio adora escrever, a Maria Inês adora música e bebés, a Alice tem sempre um sorriso, o Samuel é muito ligado aos que ama e a Madalena adora ler.

Todos eles têm um pouco de mim.


"A comunicação com todas elas foi maravilhosa, desde pessoas com dificuldades, pais e cuidadores."

Onde foi encontrar inspiração para a história?

A ideia deste livro surgiu quando fiz parte de um projecto de inclusão social intitulado "In my shoes", onde eu tinha a tarefa de ver e analisar filmes com personagens inadaptadas e após ver que nenhuma delas tinha o seu próprio romance nem era personagem principal, decidi arriscar em fazer algo novo. Afinal de contas, estas pessoas ditas especiais são iguais a nós e merecem tanto ou mais viver a sua relação de amor e ter um papel principal.


Defina a história numa palavra.

Especiais.


Sente que deixou a história como gostaria?

Completamente, cada uma toca o leitor à sua maneira e fá-lo refletir.


Estava a contar com o impacto que a mesma teve nos leitores?

Não, de todo. Eu costumava dizer que se mudasse a mentalidade de uma pessoa que fosse ficaria inteiramente feliz. É verdade. Mas ao longo do tempo apercebi-me que não foi apenas uma alma que mudei, mas tantas pessoas que se deixaram tocar. A comunicação com todas elas foi maravilhosa, desde pessoas com dificuldades, pais e cuidadores.

Senti, sem dúvida, o dever cumprido.


Está arrependida de não ter lançado a história por uma editora?

Não. Nada. O livro foi envolvido num projeto com a câmara municipal da Lousã e a provedoria municipal da pessoa com incapacidade também da Lousã, entre outras associações e creio que não podia ser de outra forma. Dei o meu melhor e não me arrependo, porque pus mãos à obra e o livro chegou a todos os cantos do país e fora dele e o objectivo foi cumprido, mesmo tendo sido edição de autor!


"Sem vocês, eu, enquanto escritora, nada seria."

Como podemos eventualmente ter acesso à sua história?

Neste momento tenho o livro esgotado, mas para terem acesso aos meus livros podem entrar em contacto comigo através das minhas redes sociais.


O que sentiu quando viu a sua obra sugerida aos nossos prémios?

Fiquei muito feliz e grata.


O que sentiu quando ganhou na Categoria Conto?

Fiquei igualmente contente e grata. É bom ver que apesar de já terem passado 4 anos o livro ainda é destacado e falado na comunidade.


O que gostava de dizer aos leitores que a seguem?

Queria agradecer a todos os que votaram e os que estão sempre lá para me apoiarem e me lerem. Sem vocês, eu, enquanto escritora, nada seria.


Muito obrigada, Cristina “Entre Palavras”

Obrigada, igualmente, Cristina, por esta iniciativa.


Obra Vencedora:


29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo